Estima-se que, dentro da família das uvas Moscato, existam mais de 200 tipos dela, brancas em sua maioria, mas também tintas, caso da Moscato Hamburgo.

As uvas dessa cepa se caracterizam pela alta intensidade aromática e boa concentração de açúcares. Ao serem vinificadas, portanto, é comum que vinhos e espumantes tendam a apresentar esse dulçor no paladar e aromas intensos e característicos da variedade.

Por isso, a Moscato é a uva utilizada na elaboração do espumante Moscatel – daí seu nome. Moscato Branco e Moscato Giallo costumam ser as variedades mais empregadas para obter essa bebida, cujo teor alcóolico é mais baixo do que os demais espumantes, apresentando aroma floral e refrescância.

Mas não é só a uva que faz a diferença nesse espumante. O método de elaboração também. Diferentemente de outros espumantes, o Moscatel é elaborado por meio de um processo chamado Asti – na Itália ele também dá nome à bebida –, ao contrário dos outros dois existentes, o Champenoise e o Charmat.

O método Asti se aproxima do método Charmat, no qual a segunda fermentação ocorre em tanques. Porém, a etapa fermentativa ocorre uma única vez, sendo interrompida por um choque térmico no momento em que a bebida alcança um teor de álcool entre7% e 10%. Por isso, é menos alcoólico do que os espumantes obtidos pelos outros métodos, sendo uma bebida mais leve, com frescor e notados aromas florais e frutados.

 

Quer saber mais
sobre vinhos?
Cadastre-se para receber conteúdo exclusivo

Deixe o seu comentário sobre a postagem:

Nome Completo:
E-mail:
Cidade / UF:
Comentário: