Você já percebeu que alguns vinhos trazem mais sensação de adstringência à boca do que outros? 

Provavelmente essa foi sua experiência com diferentes intensidades de taninos. Mas, afinal, o que é essa característica presente nos vinhos?

     O tanino é um polifenol presente na casca e sementes das uvas (também em frutas como banana verde e caqui). Quando o vinho fermenta na presença das cascas e sementes, como é o caso de uma vinificação em tinto tradicional, essa substância se dissolve no mosto em fermentação, transmitindo sua adstringência à bebida. Todos os vinhos possuem taninos, inclusive brancos e rosés, nestes casos em menor quantidade por serem rapidamente separado das cascas e sementes em seu processo de elaboração. Em alguns processos mais específicos, como dos “vinhos laranjas”, a adstringência típica dos taninos pode ser mais evidente, já que estes vinhos são elaborados com uvas brancas mas, em seu processo de elaboração, permanecem por maior tempo macerando com as cascas.

   Quanto aos tintos, o tanino é um dos elementos que ajudam no amadurecimento da bebida – conferindo estrutura que permitirão o envelhecimento saudável do vinho. Percebemos a presença do tanino quando sentimos sensação de “secura” (adstringência) no fundo e nas laterais da língua, muitas vezes causando até uma leve contração na boca. Importante observar que essa característica precisa de equilíbrio, isto é, o vinho de qualidade superior possui taninos, mas de modo que não se sobressaiam aos outros componentes do vinho (álcool e acidez, principalmente). Além disso, com passar do tempo o tanino tende a envelhecer com a bebida e se tornar mais macio – mais palatável. Esses, geralmente, são vinhos “de guarda” (nobres), que são propensos a resistir muito bem por décadas armazenados na adega.

    Isso não quer dizer que apenas vinhos com adstringência são bons, afinal, no mundo dos vinhos a melhor harmonização é aquela que combina com o seu paladar. É possível encontrar bebidas excelentes sem a tradicional adstringência e estrutura dos taninos. Vinhos tintos feitos com uvas Pinot Noir e Gamay, por exemplo, são mais leves e com menos taninos. Já as uvas Tannat (como o próprio nome sugere), Syrah e Tempranillo possuem taninos bem marcados. A dica é experimentar diferentes vinhos, descobrir sensações, aguçar seus sentidos e criar sua própria lista de estilos de vinho preferidos!

Quer saber mais
sobre vinhos?
Cadastre-se para receber conteúdo exclusivo

Deixe o seu comentário sobre a postagem:

Nome Completo:
E-mail:
Cidade / UF:
Comentário: