A diversidade desse tipo de recipiente pode deixar até mesmo quem já é iniciado no mundo do vinho um tanto confuso na hora de escolher o seu.

Para descomplicar, atenha-se a essa dica. Existe um cálice no mercado, chamado ISO, que atende a complexidades de cada tipo de vinho. Tanto que esse produto, desenvolvido nos anos 1970, logo passou a ser utilizado nos concursos de degustação, tornando-se a peça ideal, também, para todos terem em casa. Utilizada em provas técnicas, a taça é uma verdadeira coringa, podendo ir à mesa com tintos, brancos e rosés. Portanto, antes de se preocupar em ter diferentes cálices – o que você pode fazer mais tarde –, invista no que vai lhe servir para todas as ocasiões.

Outra dica importante. Antes de comprar taças coloridas, que podem ser legais para combinar com determinada decoração, opte pelas transparentes. Isso porque o aspecto visual compõe um importante fator na hora de degustar um vinho, a fim de contemplar as tonalidades da bebida. Por isso, as taças de cristal oferecem melhor visualização, embora as de vidro também possam ser utilizadas sem problemas. Elas têm uma outra vantagem: sua porosidade ajuda a quebrar as moléculas do vinho quando o cálice é girado, fazendo com que os aromas se concentrem ainda mais.

Um terceiro aspecto fundamental, embora bem simples, é a forma de segurar a taça. O correto é pela haste, e não pelo bojo, a fim de não comprometer a temperatura do fermentado e também manter a nossa mão o mais distante possível do nariz, para evitar que algum perfume ou creme que tenhamos utilizado possa interferir nas sensações olfativas proporcionadas pelo vinho que está na taça.

Todos esses pormenores ajudam a pronunciar as características do vinho, deixando mais evidentes suas cores e seus aromas. E, depois de ter investido na taça coringa, você pode começar a pensar em diversificar seu acervo, de forma a ter taças mais específicas para cada tipo de vinho e realçar ainda mais tais atributos.

Pelo menos mais três tipos de taças vão lhe ajudar com isso, duas para vinho tinto e uma para vinho branco. As taças Bordeaux e Borgonha, nominadas em referência a duas das mais famosas regiões vitícolas do mundo, são, respectivamente, voltadas a vinhos mais encorpados e a vinhos mais leves.

No primeiro caso, é indicada para vinhos como Cabernet Sauvignon e Merlot, com seu desenho de bojo maior e borda mais fechada, a fim de concentrar as características do vinho. Já taça Borgonha tem um bojo ainda maior, privilegiando os aromas de vinhos como Pinot Noir e Nebbiolo, para os quais é indicada.

A taça para o vinho branco, que também pode ser utilizada para os rosés – embora também haja cálices específicos para esse tipo de vinho –, tem o corpo menor, para que suas notas frutadas se concentrem e fiquem mais perceptíveis no momento da degustação.

 

Quer saber mais
sobre vinhos?
Cadastre-se para receber conteúdo exclusivo

Deixe o seu comentário sobre a postagem:

Nome Completo:
E-mail:
Cidade / UF:
Comentário: