Observar as constantes bolinhas subirem na taça – aliás, um indicativo de espumante bem elaborado – é um dos charmes dessa elegante bebida, ainda muito associada a momentos comemorativos, mas cada vez mais presente também no dia a dia do brasileiro.

Para tirar o máximo proveito dessa borbulhante bebida, é preciso observar algumas dicas, todas simples, mas que vão realçar o potencial do espumante.

O primeiro aspecto que deve ser observado, e talvez o mais importante, é quanto à temperatura da bebida. A melhor maneira de resfriá-la é usar um balde apropriado. Com algumas pedras de gelo, um pouco de água e cerca de 40 minutos, a bebida estará na temperatura ideal para ser consumida, entre 4°C e 7°C.

É importante atentar que quanto mais doce o espumante, como o Moscatel, o Demi-Sec e o Suave, ele deve estar mais próximo da temperatura mais fria. Já o Brut, Extra-Brut e Nature devem atingir o ponto ideal de consumo próximo dos 7°C. E evite o freezer. O resfriamento acelerado pode congelar a bebida e ainda danificar a rolha, dificultando a abertura da garrafa.

Passada essa primeira fase, é hora de abrir o espumante. Esse processo consiste em três etapas. A primeira é retirar a cápsula, aquele papel-alumínio que cobre o bico da garrafa. Para uma dose extra de segurança, é bom colocar o polegar sobre a rolha, a fim de evitar algum acidente espontâneo. Como se sabe, uma garrafa de espumante tem muita pressão, e algum descuido pode fazer com que a rolha salte repentinamente.

Com o polegar sobre a rolha, você agora pode desapertar a gaiolinha, aquele arame que envolve a rolha. Você pode tanto deixá-la apenas solta – isso pode ajudar na hora de abrir – como retirá-la. Agora, segurando firme a garrafa e a rolha, gire-a lentamente, de modo que a rolha comece a se soltar. A própria pressão da garrafa se encarregará no auxílio para a saída da rolha, que deve ser mantida na mão. Esse processo deve ser feito lentamente para que o espocar seja suave, sem a perda excessiva de gás carbônico, mantendo as propriedades da bebida.

Na hora de servir, uma dica importante. Coloque um pouco da bebida para resfriar a taça, até suar o vidro, de modo a não perder muito gás com o choque da temperatura entre o líquido resfriado e o recipiente. Depois, é só completar, lentamente, até dois terços da taça, trabalho que será facilitado com a inclinação do cálice a 45°. Lembre, a taça indicada é o do tipo flutê, aquela comprida, pois realça a perlage (borbulhas) do espumante. Em ocasiões mais formais, o rótulo da bebida deve estar virado para a pessoa que recebe a bebida.

Um bom brinde e saúde!

Quer saber mais
sobre vinhos?
Cadastre-se para receber conteúdo exclusivo

Deixe o seu comentário sobre a postagem:

Nome Completo:
E-mail:
Cidade / UF:
Comentário: