Uma boa comida é complementada por uma ótima bebida. Seja por aproximação, ou mesmo por contraste, porque os opostos se atraem, são inúmeras as combinações possíveis entre pratos e vinhos. No caso dos espumantes não é diferente – e até mesmo novos universos podem ser criados. É possível produzir harmonizações de doces e salgados com as bolhas através de formas mais tradicionais, como as feitas com massas e peixes, até as mais inusitadas, como junto ao sushi ou mesmo a feijoada. Confira algumas ideias:

 Massas

Aqui, depende do molho. Se for um vermelho mais leve, escolha espumantes Charmat Brut, por ter menos açúcar na composição. Agora, se tratando de molhos mais encorpados, como o bolonhesa, o Pinot Noir e Chardonnay combinam perfeitamente. No caso de apostar em molhos brancos, o ideal é harmonizar com espumantes, principalmente aqueles mais descontraídos.

 Peixes

Se servido junto a legumes e batatas, o peixe vai muito bem com espumantes secos e jovens. É preciso ter cuidado, porém, com a adição de vinagre. Se o prato tiver o ingrediente, o melhor é não exagerar, para evitar o risco de estragar a combinação na boca.

 Sushis

A princípio uma combinação inusitada, mas que após ser experimentada se percebe totalmente natural. Os sushis vão muito bem com os espumantes de mais estrutura – até um rosé cabe bem aqui -, desde que secos. Os espumantes mais doces podem não agradar tanto.

 Pratos vegetarianos

Receitas à base de grãos, verduras e legumes conversam muito bem com espumantes Brut Rosé. A explicação é que tanto o prato, quanto a bebida, terão como característica principal a pouca estrutura e a leveza ao paladar.

 Feijoada

Achou estranho? Pois funciona muito bem! Nesse caso, diferente dos pratos vegetarianos, a ideia é criar uma aproximação pelo contraste e utilizar o espumante como forma de limpar as papilas gustativas. A dica, então, é escolher um produto Brut desenvolvido a partir do processo Champenoise.

E as sobremesas?

É bem prazeroso encontrar harmonizações deliciosas entre sobremesas e espumantes. Basta achar pontos equivalentes, como o peso e componentes em comum ou de contraste nos aromas e sabores. Uma torta de chocolate, por exemplo, conversa bem com um brut, exatamente para quebrar a doçura. Uma pavlona com frutas, por sua vez, pede a parceria de um Moscatel rosé. Por fim, o sabor do limão fica ainda mais acentuado em uma torta se servido ao lado de um espumante do tipo Asti.

Quer saber mais
sobre vinhos?
Cadastre-se para receber conteúdo exclusivo

Deixe o seu comentário sobre a postagem:

Nome Completo:
E-mail:
Cidade / UF:
Comentário: