O universo do vinho e do espumante é lindo exatamente por ser vasto. E nesse processo de se deliciar aprendendo as nuances de cada bebida, é normal se deparar com termos, em português e oriundos de outras línguas, que causam dúvida sobre o significado. Confira, a seguir, um glossário com tudo aquilo que é essencial saber para encorpar o repertório.

 

Acidez: É o conjunto de ácidos que um vinho ou espumante possui, provenientes tanto do tipo de uva quanto do processo de fermentação. Tem papel significativo na harmonização com alimentos, pela sensação de frescor e aumento da salivação.

 

Assemblage: prática de mesclar duas ou mais variedades de uva em um único vinho, deixando a bebida mais complexa e rica em sabores, aromas, cores, texturas, corpo ou acabamento, sempre buscando o máximo de equilíbrio sensorial.

 

Blanc de Blancs: Espumante feito exclusivamente com uvas brancas, sendo mais tradicional o uso da Chardonnay.

 

Blanc de Noir: Espumante de coloração branca elaborado apenas com uvas tintas, o que é possível utilizando uvas tintas que possuem a polpa branca, como é o caso da Pinot Noir. Neste tipo de vinificação, realiza-se uma prensagem suave das uvas e limita-se o contato do mosto com as cascas, evitando que a cor das cascas seja transmitido ao mosto.

 

Brut: Classificação de espumantes relacionada à concentração de açúcar medida quando pronto. Para ser considerado brut, o espumante deve conter acima de 8 até 15 g de açúcar por litro.

 

Champenoise: Método de produção dos Champagnes, cuja segunda fermentação ocorre dentro das garrafas. Este termo é exclusivamente utilizado nos espumantes elaborados na região de Champagne, sendo em outras regiões produtoras do mundo chamado de “Método Clássico” ou “Método Tradicional”.

 

Chardonnay: Casta de uva com origem francesa, em Borgonha. É considerada a rainha das uvas brancas, sendo responsável pela maioria dos vinhos deste tipo.

 

Charmat: Método de espumatização criado por Eugene Charmat, em que o vinho sofre a segunda fermentação em tanques de inox de grande capacidade e resistentes à pressão, também chamados de autoclaves.

 

Cordon: Colarinho de espuma que pode se desenvolver na superfície da taça de espumante quando ele é servido.

 

Dégorgement: Técnica de eliminação do depósito formado pelas leveduras mortas durante a segunda fermentação (em garrafa), o qual é realizado no momento da dosagem do licor de expedição.

 

Demi-sec: Categoria de produto com açúcar residual intermediário entre os espumantes Brut e Doce.

 

Enólogo: Profissional que estuda Viticultura e Enologia, a fim de conhecer tecnicamente as etapas de produção das uvas e elaboração de vinhos. Também pode atuar na comercialização, marketing e enoturismo.

 

Estruturado: Diz-se do vinho que possui maior carga de polifenóis, o que lhe confere maior potencial de envelhecimento.

 

Fermentação: processo natural onde os açúcares da uva são transformados em álcool, gás carbônico e energia (calor), o qual é realizado pelas leveduras,

 

Foudre: Grande tonel de madeira onde o vinho é estocado durante a criação.

 

Grand Cru: Vinho que veio de um terroir especial e particular, dentro de regiões francesas específicas. Exemplo: Grand Cru da Borgonha ou Grand Cru da Alsácia.

 

Harmonização: A combinação perfeita entre o espumante e um prato.

 

Ice wine: Vinho elaborado a partir de uvas que congelaram na videira, em regiões onde o clima é favorável para esse fenômeno. Concentrado, doce e de acidez elevada.

 

Levedura: Microorganismos que realizam a fermentação alcoólica, podendo estar presentes naturalmente nas uvas ou inoculadas a partir de cepas selecionadas comerciais.

 

Millésime: Safra, o ano em que o vinho foi produzido.

 

Moscatel: Espumante elaborado com uvas de variedades Moscatéis e através da técnica criada em Asti, na Itália, onde é realizada uma única fermentação aprisionando o gás carbônico para formar a espuma. Tem por características menor teor alcoólico, maior intensidade aromática e sabor doce.

 

Perlage: Nome dado ao movimento das bolhas de gás carbônico que se formam nas taças quando o espumante é servido.

 

Prosecco: Espumante elaborado com uvas Prosecco ou Glera, com caráter cítrico e leve. Sua origem é italiana onde é elaborado em grande escala nas regiões de Conegliano e Valdobbiadene. No Brasil, é um produto que vem sendo elaborado também com grande qualidade e tipicidade.

 

Quinta: Nome dado às propriedades produtoras de vinhos em Portugal.

 

Rosé: Vinho de coloração rosada característica, podendo ter diferentes tonalidades e intensidade. Pode ser elaborado tanto com mescla entre vinhos brancos e tintos, como através de uma leve maceração das uvas tintas com suas cascas.

 

Sommelier: Profissional responsável por escolher os vinhos que compõe a carta de um restaurante ou a adega de uma loja de vinhos. Tem conhecimento sobre diferentes regiões produtoras e estilos de vinhos e também sobre harmonizações.

 

Tanino: É um composto químico (polifenol) presente naturalmente nas uvas (principalmente nas cascas e sementes), de sabor adstringente, que ajudam a dar corpo, estrutura e complexidade ao vinho, especialmente os tintos. Também pode estar presente em vinhos brancos que passam por um estágio de amadurecimento em barricas de madeira.

 

Terroir: Conjunto de fatores climáticos, de solo, clima, variedades de uva, manejo humano, cultura, história e tradição, que somados, definem a tipicidade do vinho de uma determinada região.

 

Vindima: Período de colheita das uvas, também chamado de Safra.

 

Vinhedo: Conjunto de vinhas cultivadas em uma região.

Quer saber mais
sobre vinhos?
Cadastre-se para receber conteúdo exclusivo

Deixe o seu comentário sobre a postagem:

Nome Completo:
E-mail:
Cidade / UF:
Comentário: