O mundo do vinho é repleto de acessórios, e um dos mais importantes para quem aprecia a bebida é o decanter. Essa peça, de múltiplos formatos, também tem múltiplas funções – e, por isso mesmo, é essencial para qualquer apreciador de vinho.

Como o nome sugere, o decanter tem entre suas utilidades a função de decantar o vinho, ou seja, livrá-lo de impurezas. Assim, o líquido será separado de borras ou outros resíduos que estejam na garrafa. Essas substâncias são inofensivas à saúde, mas atrapalham a degustação.

A finalidade de decantar o vinho é indicada para os tintos envelhecidos. Para esse processo, é importante que a garrafa de vinho fique algumas horas na posição vertical – o ideal seria 24 horas –, a fim de que os sedimentos se depositem no fundo da garrafa.

Na hora de transferir o vinho para o decanter, opte por fazer isso em etapas. Pode ser em três vezes, despejando um terço da bebida por vez. Mas o mais importante é que esse processo seja feito lentamente e com o vinho tendo contato com o vidro.

No final, é essencial cuidar para que os sedimentos não sejam colocados junto com o vinho no decanter. Para isso, use uma luz auxiliar – deixe na garrafa o depósito e descarte com o restante do líquido.

Porém, como hoje os vinhos quase sempre passam por algum processo de filtração, o decanter também tem funcionalidade como um aerador. Esse processo serve para fazer o vinho “respirar” já que ficou por muito tempo guardado, sem contato com oxigênio. O vinho deve ser despejado pela parede de vidro. Fazendo assim, ter mais contato com o oxigênio e acelerar a liberação de seus aromas.

A aeração, ou seja, deixar o vinho “respirar”, é indicada para vinhos tintos jovens e potentes, a fim de antecipar seu potencial de guarda, e também para vinhos de guarda. Uma outra função do decanter pode ser o de filtrar o vinho. Utilizando um funil com filtro ou até mesmo uma peneira, é uma boa forma de evitar que resíduos de rolhas ressecadas caiam sobre o vinho.

Para não errar. Brancos raramente vão precisar de um decanter – no caso de precisarem, será para aerar brancos complexos que passaram por madeira. Caso você tenha aberto um tinto e a rolha ou o gargalo apresentarem cristais, use o decanter. Não se decanta espumantes e nem vinhos rosés.

Por último, mas não menos importante, é preciso atentar para o tempo que o vinho fica no decanter. Vinhos jovens encorpados, até duas horas. Vinhos mais envelhecidos, que ficaram fechados por 3 anos ou mais, podem ficar por até quatro horas a fim de liberarem seus aromas e apresentarem todo o seu potencial.

 

 

Quer saber mais
sobre vinhos?
Cadastre-se para receber conteúdo exclusivo

Deixe o seu comentário sobre a postagem:

Nome Completo:
E-mail:
Cidade / UF:
Comentário: